Home » 2022 » Visita do fotógrafo marinho Nuno Vasco Rodrigues ao AEA

Centro Qualifica

PAA

Arquivo

Visita do fotógrafo marinho Nuno Vasco Rodrigues ao AEA

O Agrupamento de Escolas de Arganil (AEA) teve o privilégio de receber a visita do fotógrafo marinho Nuno Vasco Rodrigues, premiado pela Ocean Geographic Society, nas categorias de Fotógrafo de Conservação e Fotojornalismo, e pela ONU, na Competição de Fotografia do Dia Mundial dos Oceanos.

No âmbito do projeto do Clube Europeu do AEA, subordinado ao tema dos Oceanos, as crianças e os alunos do JI/EB1 de São Martinho da Cortiça e os alunos do 3º ano da EB de Arganil receberam, no dia 14 de junho, a visita do biólogo marinho e fotógrafo de conservação Nuno Vasco Rodrigues. Após a realização de algumas atividades de pesquisa sobre o tema da fauna e da flora oceânica, bem como sobre as maiores ameaças aos oceanos, nomeadamente o aquecimento global, a sobrepesca e a poluição, os alunos puderam esclarecer dúvidas com o investigador do Instituto Politécnico de Leiria. 

Durante a sessão, alunos e professores tiveram a oportunidade de visualizar uma apresentação com muitas fotografias de algumas das espécies que habitam a costa portuguesa, explorando a diferença entre os peixes e os mamíferos, e de desvendar curiosidades interessantes sobre os cavalos-marinhos, nomeadamente o facto de serem os machos a carregarem, na sua bolsa incubadora, os ovos depositados pelas fêmeas, dando à luz ao fim de cerca de 2 meses de gestação. Esta espécie encontra-se em vias de extinção, devido, sobretudo, à sua pesca para fins decorativos. Ainda assim, temos a sorte de possuir, no Algarve, no estuário da Ria Formosa, a maior comunidade mundial desta população. O especialista explicou, ainda, que, nos Açores, dispomos de áreas marinhas protegidas, que há, em Portugal, corais lindíssimos, que a baleia-azul e o tubarão-baleia são o maior animal do mundo e o maior peixe do oceano, respetivamente, que existem mais de 40 espécies de tubarão, algumas das quais a desaparecer, e que este animal, afinal, não é o “lobo mau” do mar, como a ficção nos faz crer. A fim de contribuir para a preservação das espécies, o investigador aproveitou para dar alguns conselhos às nossas crianças: não comerem tubarão, limparem o lixo da praia, sempre que possível, e evitarem, quotidianamente, a poluição.

O discurso na primeira pessoa, aliado às imagens da autoria do nosso convidado, cativou a atenção dos alunos, que tinham muitas questões para colocar ao também coordenador de Cogestão da Reserva Natural das Berlengas.

O Clube Europeu do AEA agradece a disponibilidade do fotógrafo premiado, esperando poder recebê-lo mais vezes. Agradece, também, a participação dos professores envolvidos, da professora bibliotecária, Arminda Ramos, cuja colaboração foi determinante para o desenvolvimento da atividade, e, sobretudo, dos alunos, que se mostraram muito empenhados e interessados, revelando uma consciência ambiental muito importante para o futuro dos oceanos!